Dicas de amamentação

Amamentar não é um processo totalmente instintivo. Precisa ser aprendido e esse aprendizado é passado através de informações de outras mulheres que já viveram o processo e também através da observação.

Dicas de amamentação – Saiba onde o leite é produzido

Os seios são a fábrica do leite materno.

Na gravidez a placenta prepara a mama para assumir a função de alimentar o bebê através da produção de hormônios: estrogênios e progesterona.

Mamas: (  Imagem criada por Dr Jayme Murachovski ): Imagine a mama como 15 a 17 cachos de uva. Cada uva corresponderia ao alvéolo que é a célula produtora de leite.

Cada cacho de uva termina em um orifício do mamilo.

O depósito do leite encontra-se embaixo da aréola.

Cada alvéolo é envolvido por células que espremem os alvéolos para esvaziá- los.

Dicas de amamentação – conheça as 3 fases do leite

Primeira fase: Colostro.

Produzido durante a gravidez por estímulo hormonal.

É o primeiro leite que o Recém nascido deve receber, na sala de parto na primeira meia hora de vida.

O colostro é secretado dentre o primeiro e o sétimo dia, em geral até o terceiro.

Líquido espesso, amarelado, muito concentrado em nutrientes e em fatores de proteção Algumas vezes pode ser transparente.

O volume inicial do colostro é de 5 a 7 ml  por mamada, que é a capacidade do

estômago do bebê recém nascido, capacidade que vai aumentando progressivamente, assim como o volume.

Segunda fase: Leite de transição

Após o parto a mãe deverá colocar o bebê para  mamar, mesmo que não apresente sinais de fome. Mamadas frequentes, curtas 10 minutos de cada vez a cada meia a duas horas até a descido do leite.

3 a 4 dias após o parto, ocorre a chamada “descida do leite” ou apojadura. Ocorre ainda por estímulo hormonal, e não depende de sucção.

Esse leite tem aspecto aguado.

Sua produção pode prolongar-se por 1 a 2 semanas.

A sucção é necessária para estimular a produção da prolactina que será necessária para a produção do leite maduro e para liberar a ocitocina que é o hormonio que estimula o reflexo de ejeção do leite.

Nessa fase a mama fica ingurgitada e dolorosa por excesso de leite, que é maior que a demanda do Recém nascido.

A mãe deverá colocar o recém nascido para mamar e muitas vezes precisará fazer o esvaziamento da mama manualmente ou com bomba.

Terceira fase: leite maduro

Surge por volta do  décimo quinto dia ( terceira semana  pós parto ).

A cor é mais branca e mais consistente que o leite de transição.

O leite do início da mamada (chamado leite anterior ) é mais rico em proteínas, lactose , vitaminas e água e o do final, ( chamado  leite posterior ), contém mais gordura que induz a sensação de saciedade, por isso é importante que o bebê mame um lado até o final.

Dicas de amamentação – saiba como o leite é produzido

A produção do leite maduro é regulada pela sucção e esvaziamento da mama.

Sucção do  seio pelo bebê: esse é o estímulo que o organismo precisa para produzir e liberar o líquido precioso que é o leite materno.

Quando o bebê suga o seio, há liberação de 2 hormônios: prolactina e ocitocina.

Prolactina

É o hormônio que estimula  as células dos alvéolos da glândula mamária a secretarem o leite.

Ocitocina

Hormônio que contrai as células que “espremem” o leite dos alvéolos, para levá-lo até os mamilos  onde o leite será entregue ao bebê através do reflexo de ejeção.

Este hormônio é também liberado quando a mãe olha o bebê, quando ele chora, quando sente o cheiro do bebê e também por fatores emocionais como motivação, auto confiança, tranquilidade.

Este hormônio é bloqueado por stress, dor, desconforto, insegurança, medo.

Não havendo sucção após o parto, não há produção de leite.

Dica de amamentação – Como aumentar a produção

Para a maior produção  de leite o estímulo da sucção deve ser frequente e vigoroso.

A produção do leite é controlada pela própria mama pelo próprio leite.

O leite contém uma proteína chamada FIL ( fator de inibição do leite ) que inibe a produção do leite.

Para manter a produção do leite é necessário o esvaziamento completo da mama, pois  se o leite não for retirado esses fatores impedem as células de produzirem mais leite.

Quando a mama é esvaziada essa proteína é eliminada e ocorre o estímulo para a produção do leite.

A chave para melhorar a produção é o esvaziamento completo da mama.

Até os 3 meses, os bebês costumam mamar a noite de 3 em 3 horas. Essas mamadas noturnas são muito importantes para a maior produção do leite, pois a prolactina, que é o hormônio responsável pela produção  é  liberado em maior quantidade a noite durante a sucção do bebê.

Dicas de amamentação – Livre demanda

  • Livre demanda é a chave para aumentar a produção de leite.

  • Desde o nascimento oferecer o peito sempre que  achar que o bebê está com fome.

  • O bebê estabelece o próprio ritmo.

  • O bebê será amamentado de acordo com  sinais de fome No momento da fome e não de acordo com o relógio.

  • O bebê deverá mamar o que quiser e quanto tempo quiser., sem horários determinados até se sentir satisfeito, quando então ele dorme, ou larga o peito.

  • Deverá mamar nos 2 peitos. Oferecer o primeiro deixando que esvazie totalmente até largar. Depois oferecer o segundo que o bebê poderá aceitar ou não.Na mamada seguinte, iniciar pelo último.

Entenda os sinais de fome:

Não espere o bebê chorar desesperadamente para amamentá-lo, pois o bebê nervoso tem mais dificuldade. É preciso tranquiliza-lo.

Sinais de fome: acordar,  mexer-se, virar de um lado para o outro,  movimentos da boca, movimento de procura com a cabeça, colocar as mãos na boca, barulhinhos, sucção com os lábios, colocar a língua para fora.

Durante os 3 primeiros meses o bebê deverá mamar  em livre demanda também a noite, para evitar hipoglicemia e também estimular a produção do leite. Se for necessário, deverá ser acordado pelo menos a cada 4 horas.

Após os 3 meses,se o bebê estiver saudável e ganhando peso adequadamente não é mais necessário acordá-lo para mamar.

A livre demanda atende as necessidades emocionais e calóricas do bebê.

A livre demanda previne a dor e o endurecimento da mama causado pelo leite congestionado.

A livre demanda estimula mais a lactação da mãe e o bebê perde menos peso depois do

nascimento.

Na livre demanda, quando a necessidade do bebê aumenta ele vai mamar com mais frequência.

Dicas de Amamentação – a pega perfeita

Para conseguir boa pega a postura do bebê é importante:

  • Barriga do bebê em contato com a barriga da mãe na mesma altura do mamilo em qualquer posição que a mãe esteja.

  • Rosto do bebê de frente para o peito.

  • Nariz ao nível do mamilo

  • Encostar o mamilo nos lábios ou na bochecha do bebê, o que desencadeia o reflexo de procura. Ele abre a boquinha .

  • Boca bem aberta como se fosse bocejar abocanhando o mamilo e a maior parte da aréola ( parte escura, redonda do peito )

  • A parte inferior da aréola deve estar totalmente dentro da boca da criança e a parte superior, visível

  • Lábios do bebê virados para fora, como  a boca de um peixe.

  • Queixo do bebê encostado no peito.

Para  o bebê fazer uma boa pega, o bico de seio deve estar molinho. Se estiver duro e esticado o bebê terá dificuldade com a pega.

Esvazie um pouco a mama, que o bico e a aréola amolecem. Pode fazer um movimento de rotação com os bicos.

  • Quando o bebê abocanha o mamilo e  a aréola, o bico encosta no céu da boca do bebê faz pressão com a língua no céu da boca e desencadeia o reflexo de sucção: suga o bico que se estica até chegar perto da campainha onde é massageado contra o céu da boca para que o leite saia, caindo atrás da língua do bebê aonde será mais facilmente deglutido.

Durante a mamada, o queixo do bebê faz um movimento  com a mandíbula como se fosse um quadrado: Abaixa para abrir a boca, vem para frente para alcançar a mama, sobe para fechar a boca e comprimir a mama, vai para trás para extração do leite e desce.

No final da mamada, o bico estará bem maior do que é, voltando ao tamanho normal após alguns minutos, pois a pele dos mamilos tem essa característica de esticar e encolher.

Dicas de amamentação – Posições

A mãe deverá estar confortável, recostada e com os pés apoiados

Tradicional

A cabeça do bebê recosta na dobra do cotovelo da mãe.

Mão da mãe segura as nádegas do bebê;

As pernas do bebê envolvem a cintura da mãe

A cavalinho

Bebê senta em cima de uma das pernas da mãe.

Rosto do Bebê de frente para o peito.

Mãe sustenta parte da coluna e cabeça do bebê com uma das mãos e a outra segura o seio para oferecer ao bebê.

Queixo encosta no peito.

Lábios do bebê virados para fora.

Posição invertida

Útil após cesariana e mamas grandes

Cabeça do bebê de  frente para um peito

Pernas embaixo de um dos braços em direção as costas.

Os pés do bebê não devem tocar nas costas da cadeira

O braço da mãe fica para baixo das costas do bebê:

Mãos da mãe na base da cabeça.

Deitada de barriga para cima (Laid back)

Bebê sobre a mãe

Barriga com barriga

O rosto do bebê de frente para o peito

Deitada

Boa  para após cesariana e mamadas noturnas

Mãe e bebê deitados de lado um em frente ao outro

Antebraço em um pequeno travesseiro elevando um pouco a cabeça do bebê.

O corpo da mãe deve estar ligeiramente inclinado para trás.

Dica de amamentação – Bico do seio

Bebês devem abocanhar a aréola e não o bico do seio.

O bico do seio, ajuda o leite a cair no fundo da boca dos bebês.

Mamilos planos e invertidos não impedem a amamentação, apenas dificultam.

O que faz o mamilo vir para fora é a sucção do bebê.

O momento de fazer os bicos ficarem um pouco maiores é antes das mamadas:

  • Rode com suavidade os bicos para direita e para a esquerda.

  • Corte  uma seringa de 3 ml no local da agulha. Retire o embolo e coloque no local cortado.Encaixe no mamilo e puxe devagar com leve tração para estimular a protusão

Atualmente não se indicam massagens, ou exercícios  no bico do durante a gravidez.

Exercícios e massagens, podem produzir contrações  no útero e  podem levar a formação de fissuras durante a amamentação.

Pomadas não são  necessárias. Higiene apenas com água filtrada.

Dicas de amamentação – Problemas e soluções

Dor – pega incorreta

Fissuras e sangramento

  • Causa:

Pega incorreta.

  • Tratamento:

  1. Expor as mamas ao sol ou aplicar secador de cabelo no morno  a um palmo de distância por 3 minutos, ou lâmpada de 40 watts a distância de 40 cms por 3 minutos ( cuidado com queimaduras.

  2. Secar  bem o mamilo com gaze esterilizada após cada mamada.

  3. Posicionar bem o bebê. Corrigir a pega.

  4. Iniciar pela mama menos afetada.

  5. Ordenhar um pouco de leite antes das mamadas, evitando que a criança sugue forte.

  6. Para interromper a mamada, introduzir o dedo mínimo no canto da boca do bebê.

  7. Colocar gotas no leite nas partes afetadas ( tem propriedades cicatrizantes ).

  8. Não usar produtos que tirem a proteção da pele.

  9. Algumas vezes quando as medidas recomendadas não surtem efeito totalmente, pode ser usada Pomada de Lanolina a 100%. Estudos mostram que ajuda na recuperação de fissuras e por ser pura, não há necessidade de retirar antes da amamentação.

 Mamas  ingurgitadas

  • Causa:

A mãe produz mais leite do que o bebê consegue mamar.

Em geral, ocorre entre terceiro ou quinto dia após o parto.

Início tardio da amamentação ou mamadas infrequentes.

  • Tratamento:

O único tratamento é esvaziar o peito.

Bebê deverá mamar os 2 peitos.

Iniciar pela mama menos afetada.

Ordenha entre as mamadas ou usar bomba de extração para esvaziar os seios.

Massagear os seios debaixo do chuveiro quente.

Compressas frias ( não mais que 15 minutos )  após as mamadas, pois o frio diminui a produção do leite.

Massagear as zonas doloridas depois de cada mamada, começando nas  nas zonas das costelas em direção ao mamilo.

Evitar uso de intermediários

Mastite

  • Sintomas:

Febre, calafrios,  dores, seios endurecidos, vermelhos, mal estar geral.

  • Causa:

A estagnação do leite, provoca processo inflamatório e infecção.

  •  Tratamento:

Além do esvaziamento dos seios, necessário tratamento médico.

 Baixa produção de leite

  • Sintomas;

Bebê não fica saciado após as mamadas, chora muito, quer mamar com frequência, faz mamadas muito longas e não ganha peso adequadamente. Apresenta evacuações infrequentes com fezes em pequena quantidade, secas e duras.

  • Causas

Decorre do não esvaziamento  total da mama.

  1. Pega inadequada

  2. Mamadas insuficientes, muito espaçadas ou curtas, amamentação com horários pré determinados, ausência de mamadas noturnas, ingurgitamento mamário, e introdução de mamadeira, bicos ou chupetas.

  3. Confusão de bicos – o bebê que recebe complemento através de mamadeiras, ou mama no seio através de intermediários, ou faz uso de chupeta, tem dificuldade para mamar no seio, por confusão de bico, pois os movimentos são diferentes.

  4. Uso de complemento – Quando é introduzido o complemento, o bebê espaça as mamadas, o que prejudicada o esvaziamento da mama,e também a liberação da prolactina.

  5. Ansiedade, medo, insegurança, da mãe que bloqueiam a produção da ocitocina, responsável pela ejeção do leite.

  6. Como congelar leite materno

Acesse o link:http://www.conversandocomopediatra.com.br/website/paginas/materias_gerais/materias_gerais.php?id=88&content=detalhe