Rinite Alérgica tem cura?

Rinite alérgica é uma inflamação crônica do revestimento interno do nariz, devido a uma resposta de defesa  exagerada do organismo, a partículas do ar inalado.

O nariz é a porta de entrada para irritantes que estão no ar. Quando algum tenta entrar, o nariz entope para bloquear a passagem, provoca espirros para elimina-lo e lava a região com secreção. Na rinite alérgica esse mecanismo é exagerado.

Conheça  a respeito da Rinite Alérgica:

  • Causas

  • Sintomas

  • Sinais faciais

  • Fatores de risco

  • Como acontece

  • Como diagnosticar

  • Como tratar

  • Como prevenir

Rinite Alérgica – Causa

A causa da Rinite Alérgica é uma alergia. Essa alergia tem como consequência a inflamação da mucosa (revestimento interno ) do nariz, que vai levar aos sintomas da crise.

Rinite Alérgica – Sintomas

São sintomas da Rinite Alérgica:

  • Espirros frequentes;

  • Prurido ( coceira ) no nariz, podendo ocorrer também nos olhos, céu da boca (Palato ), garganta e ouvido.

  • Rinorréia ou coriza clara, que pode se manifestar pela frente ou por trás do nariz, causando pigarros e roncos.

  • Congestão nasal levando ao “entupimento” do nariz;

  • Perda do olfato;

  • Lacrimejamento ocular, olhos vermelhos e inchados

  • Tosse persistente ou em crises

  • Normalmente a cada 2c a 4 horas ocorre um ciclo respiratório.Um lado do nariz fica obstruído e o outro é liberado.

  • Na rinite o ciclo está exacerbado, e na rinite muito intensa o ciclo desaparece e há obstrução nas duas fossas nasais

Rinite Alérgica – Sinais faciais

A criança que apresenta sintomas de Rinite Alérgica por tempo prolongado, apresenta alguns sinais:

Olheiras alérgicas – escurecimento abaixo dos olhos. O revestimento do nariz incha, comprime as veias e o sangue se acumula nas órbitas.

Dupla linha abaixo da pálpebra

Prega nasal horizontal – prega que se forma porque a criança esfrega muito a ponta do nariz com movimentos para cima:

A parte interna do nariz encontra-se pálida e inchada, e quando o caso é mais severo apresenta tons de azul acinzentado, além de desenvolver pólipos dentro do nariz;

A criança apresenta os lábios entreabertos, pois a obstrução nasal leva a respiração bucal.

Consequências da respiração bucal

A respiração bucal provoca na criança que está em desenvolvimento alterações na arcada dentária e dos ossos da face. O palato fica alto e a face torna-se alongada. Como não usa o nariz os orifícios nasais ficam pequenos.

A criança vive com a boca aberta e tem alterações da mucosa da boca: boca seca, mau hálito, gengivites, lingua saburrosa.

A criança com obstrução nasal perde as funções do nariz que são: Umidificar o ar, filtrar o ar e aquecer o ar. Recebe um ar através da respiração bucal , que vem cheio de impurezas, seco e não aquecido, predispondo a amigdalites, faringites, laringites, rouquidão.

A obstrução nasal, torna o sono precário, prejudicado, agitado, levando a fadiga e, sonolência durante o dia e dificuldades com aprendizado

Rinite alérgica – Fatores de risco

Fatores genéticos e ambientais:

  • Crianças que apresentam outras doenças alérgicas: asma ou dermatite atópica. Asma, rinite e dermatite atópica são manifestações diferentes de uma mesma doença.

  • Presença de outros familiares com alergia;

  • Desmame precoce;

  • Exposição a fumaça de cigarro precocemente, inclusive durante a gestação;

  • Viver em ambientes com potenciais alérgenos

Rinite alérgica – Como acontece

A alergia a ácaros, pó, mofo, polém, pelos de gato e cachorro é ocasionada por uma resposta do organismo. Antes da alergia se desenvolver a criança precisa ser sensibilizada, exposta a essas substâncias.

Quando a pessoa genéticamente predisposta inala a substância a qual ela é sensível, essa substância se deposita sobre a mucosa do nariz e se liga a um anticorpo chamado Imunoglobulina E que se encontra na parede dos mastócitos.

Essas células chamadas mastócitos são células que contem uma substância chamada histamina.

Quando ocorre essa ligação  os mastócitos derramam seu conteúdo  ( histamina ) na mucosa que recobre o nariz produzindo dilatação dos vasos sanguíneos e inchaço.

Quanto mais uma pessoa se expõe ao alérgeno, cada vez quantidades menores do alérgeno desecadeiam a crise.

Ficam tão sensíveis, que outros fatores podem ser gatilho para as crises.

Rinite alérgica- diagnóstico

O diagnóstico da rinite alérgica se baseia nos sintomas e sinais e em exames complementares dirigidos para identificação dos alérgenos, isto é, para os elementos causadores da crise alérgica.

Esses exames são principalmente:

Teste  cutaneo realizado por médico especializado: Sôbre a pele do braço ou nas costas é aplicado com agulha fina extrato dos alérgenos mais comuns: ácaros, poeira, fungos, pelo de gato ou cão, polém, etc. Espera-se 15 minutos. Se houver reação no local, o teste é considerado positivo para aquele alérgeno.

RAST: Determinação de IGE específica no sangue

Rinite Alérgica:

  • Tratamento Preventivo:

Evitar os alérgenos é o principal.

Evitando os alérgenos, as crises diminuem

Higiene ambiental:

A poeira doméstica é mistura de bactérias, fungos, ácaros que se alimentam de partículas de alimentos,de tecidos e pele descamada de pessoas e animais.

O  ácaro gosta de ambientes úmidos e sem luz, e não sobrevive em lugares secos e ensolarados.

Vive em lençóis, tapetes, carpetes, colchões,roupas, animais e bancos de automóveis.

  • Medidas para diminuir os alérgenos na casa

Quarto é o mais importante. Lavar os edredons  a cada 10 dias;

Evitar contato com poeira, mofo, cheiros fortes, perfumes;

Evitar alimentos na cama e no sofá.

Onde há fungo há ácaro, porque o ácaro se alimenta de mofo

  • Lavagens nasais para evitar que os alérgenos fiquem em contacto com o nariz.

As soluções salinas aliviam a irritação do tecido, umedecem a mucosa,ajudam na retirada das secreções.

  • Tratamento medicamentoso:

A rinite alérgica é uma doença cronica que não tem cura, mas tem controle.

A medicação tradicional é para toda a vida.

Se parar a medicação, os sintomas voltam

  • Tratamento com vacinas - Imunoterapia:

Visa dessensibilizar a pessoa ao alérgeno.

Injeções de pequenas doses do alérgeno para acostumar o organismo ao mesmo diminuindo a resposta inflamatória.

É a única forma de mudar a resposta imunológica e melhorar a qualidade de vida

O tratamento dura alguns anos e se for interrompido perde a eficácia.

O tratamento é por via sub cutânea ou sublingual

Indicada:

  1.  para pacientes não controlados com a medicação convencional, quando persiste o processo inflamatório apesar de todas as medidas de tratamento e prevenção .

  2. ou não desejam medicação contínua,

  3. ou quando não é possível afastar o alérgeno,

  4. quando os sintomas são muito severos. 

O tratamento precoce ou prevenção da rinite pode prevenir a ocorrência de asma ou a gravidade dos sintomas brônquicos.