Primeira papinha do bebê

A primeira papinha do bebê mudou.

Entenda o que mudou na alimentação complementar do bebê, baseado nas Diretrizes do Manual de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria , Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde:

  • O nome da papinha;

  • A idade do inicio;

  • A consistência;

  • A forma de introdução dos alimentos novos;

  • A introdução dos ovos e peixes;

  • Quanto o bebê deve comer;

  • A idade e a forma de introdução das frutas;

  • Oferta de sucos;

  • Restrições.

Primeira papinha

Não mais chamaremos de papinha salgada, para que não haja relação entre papinha e sal.

Hoje, os termos mais usados são: papa de almoço, papa de janta, papa de legumes ou comida de panela.

A papinha não deve conter sal. Apenas ervas aromáticas.

A introdução precoce do sal, sobrecarrega os rins do bebê  e como ele  ainda não conhece os sabores é mais fácil acostumá-lo com pouco sal.

Idade  para iniciar a primeira papinha

A fase de introdução alimentar é  a partir de 6 meses até 1 ano

 6 meses: Papa de fruta e primeira papa principal.

 7 a 8 meses: Segunda papa ou papa da janta

12 meses- alimentação da família

Aos 6 meses,o bebê  já tem maturidade  para receber outros alimentos além do leite.

.Não apresenta mais o reflexo de protusão da língua, que é o reflexo que empurra para fora  qualquer coisa que for colocada sobre a língua.

Nesta idade ele já move a comida da frente para o fundo da boca.

As enzimas estão  em quantidades suficientes para a digestão;

O bebe já senta, o que permite usar a colher ou pegar os alimentos .

Excepcionalmente, se a mão amamenta e volta a trabalhar, pode-se antecipar para 4 meses para evitar o desmame.

Consistência da primeira papinha

A papinha  não deverá ser liquidificada, passada no mixer ou na peneira.

Os alimentos deverão ser bem cozidos e amassados com o garfo

Inicialmente na consistência de papa ou purê( espessa o suficiente para ficar grudada na colher sem cair), depois mal amassada, deixando escapar alguns pedacinhos para estimular a mastigação.

A consistência da papinha deve aumentar progressivamente para que aos 9 meses a criança inicie o consumo de semi sólidos, e aos 12 meses já esteja  recebendo a refeição com consistência semelhante a da família.

Crianças que não recebem alimentos em pedaços até os 10 meses apresentam maior dificuldade de aceitar alimentos na sua forma inteira.

O que oferecer: composição da primeira papinha

A papinha deverá conter pelo menos um alimento dos 4 grupos alimentares abaixo:

  • Cereal ou tuberculo: arroz, milho, macarrão, batata, mandioca, cará ou inhame.

  • Leguminosas:Feijão, soja, ervilha, lentilha, grão de bico.

  • Proteina animal:carne bovina, vísceras, carne de frango, peixe, carne suina.

  • Hortaliças:

  • verduras:– são os vegetais com folhas: acelga,repolho, escarola,couve,espinafre, brocolis

  • legumes: são as hortaliças sem folhas: abobrinha, chuchu, quiabo,cenoura,abobora, beterraba

  • Temperos: alho, cebola,salsinha, cebolinha, coentro,oregano, mangericão, tomilho.

  • Azeite extra virgem, oleo de soja ou canola: meia colher das de sobremesa

Como fazer a primeira papinha

♦Cozinhar com pouca água em panela fechada para não perder os nutrientes.

Nas primeiras papinhas  o alimento pode ser misturado para facilitar a aceitação.

Aos 8 meses iniciar os componentes separados:

♦Cozinhar e temperar os alimentos separadamente.Não refogar.:

♦Amassar bem os legumes, picar  as verduras;

♦As leguminosas: deixar de molho de véspera e trocar a água no dia seguinte lavando bem para retirar uma substância chamada fitato que interfere na absorção do ferro.

♦A carne: na quantidade de 50 grs por refeição deve ser preferencialmente moida,ou cozida e depois picada ou desfiada

Acrescentar azeite ou oleo de canola ou soja.

Como oferecer a papinha

Nas primeiras papinhas o alimento pode ser misturado para facilitar a aceitação,

Aos 8 meses iniciar a refeição com os componentes separados para que a criança desenvolva o paladar e as preferências alimentares.

Assim, a criança aprende a identificar sabores, aromas e textura dos alimentos.

Não  é  necessário a introdução de um alimento por vez.Podem ser introduzidos juntos, porem oferecer  no mínimo 4 vezes o mesmo alimento a fim de testar a tolerância intestinal, a sensibilidade alérgica e acostumar o bebê ao novo sabor.

Introdução de ovos e peixes

Atualmente é recomendada introdução  de ovos e peixes sem espinhas a a partir dos 6 meses, visando a aquisição de tolerância e a redução do risco de alergia alimentar.

Iniciar com quantidade pequena e aumentar aos poucos para detectar alguma alergia.

Ovos deverão ser consumidos 3 vezes por semana.

Quantidade: quanto o bebê deve comer

Iniciar com 1 a 2 colheres das de chá colocando-se o alimento na ponta da colher e aumentar o volume conforme a aceitação da criança.

No inicio quando a quantidade ingerida ainda é pequena completar com leite materno até que a criança mostre-se saciada apenas com a papa.

Em geral, são necessárias 8 a 15 exposições para que o alimento seja  bem aceito pela criança.É uma estratégia que auxilia o paladar infantil.

Os pais não devem forçar pois as crianças tem boa capacidade de regular a quantidade que necessitam.

Deixe a criança pegar o alimento com as mãos.

Frutas

♦Devem ser oferecidas desde os 6 meses de idade, 1 semana antes de iniciar a papinha.

Os bebês  já tem o conhecimento do sabor doce,  por isso mais é mais fácil a adaptação para o alimento sólido doce.

♦Iniciar pelas frutas mais doces, como banana, pera ,maçã. Oferecer durante 3 dias a mesma fruta para observar a tolerância.

♦As frutas deverão ser apresentadas inicialmente amassadas sob a forma de purês,  em colheradas, depois em pedaços e posteriormente inteiras

♦Retirar as sementes e as cascas.

♦Nenhuma fruta é contraindicada exceto  morangos e uvas, devido excesso de agrotóxicos e a impossibilidade de retirar as cascas.

Devem ser  consumidas de 3 a 5 vezes ao dia .São ricas em Vitaminas, minerais, carbohidratos e fibras.

Como higienizar as frutas:

Para reduzir contaminação por  microorganismos:

Diluir do gotas de hipoclorito de sódio a 2,5% para 1 litro de água e deixar as frutas  imersas durante 15 minutos.

Para reduzir a contaminação por agrotóxicos:

Diluir 1 colher das de sopa de bicarbonato de sódio  para 1 litro  de água durante  20 minutos.

Água

Novos alimentos representam sobrecarga para os rins, então importante oferecer água após as refeições.

Não ofereça água ou suco durante as refeições.

Sucos

♦Devem ser evitados.Não oferecem nenhum benefício maior do que a fruta ao natural para crianças maiores de 6 meses.

♦Sucos tem alta carga calórica,não contem fibras e não estimulam a mastigação

♦Sucos não são proibidos,mas se forem ofertados que sejam  após 1 ano, em copo e após as principais refeições,para melhorar a absorção do ferro presente nos feijões e vegetais verde escuros.

♦Sucos quando ofertados que sejam na quantidade máxima de 100ml por  dia e não adoçados.

♦O consumo abusivo de sucos pode propiciar cárie dentária, cólica por excesso de gases, diarréia, risco de obesidade e diabetes no futuro.

♦Jamais usar sucos em caixinha que contem aditivos, corantes, conservantes e alta quantidade de açucares.

Restrições:

Sal:

A Organização Mundial de Saúde recomenda fortemente que o sal não deve fazer parte  da alimentação de crianças menores de 2 anos

Açucar:

evitar até 2 anos,pois o bebê já nasce preferindo o sabor doce, e quando recebe alimentos adicionados de açucar a aceitação dos outros sabores torna-se mais difícil.

Mel:

Não  oferecer antes de 1 ano, em virtude do perigo de contaminação pelo bacilo do botulismo

Assista ao vídeo abaixo para mais informações: